sábado, 2 de fevereiro de 2019

Marmitas #1 - truques e dicas

Como costumo receber muitas questões sobre as minhas marmitas, decidi fazer uma série de post's para compilar toda essa informação. Hoje trago-vos o primeiro.

.
Se hoje em dia fazer marmitas é algo que faz parte da minha rotina e que raramente falho, há uns anos era um verdadeiro martírio. Eram mais os dias a comer fora do que os dias de marmita, e quando as fazia geralmente recorria a comida do desenrasca, muitos pastéis, muita comida pré-feita, comida pouco saudável e nada saciante.
.
Assim vou partilhar com vocês alguns truques e dicas que facilitam esta preparação diária, porque não há nada como comida caseira: mais saborosa, mais saudável, mais económica e amiga do ambiente.
.
O primeiro post é sobre como escolher as marmitas e porquê.

 


Inicialmente usava um qualquer tupperware, o que com o tempo mostrou-se pouco eficaz por várias razões:
  1. nem sempre tinha disponível/lavado um tupperware com as dimensões certas para uma dose de comida e que coubesse na lancheira
  2. nem todos os tupperwares eram adequados para aquecer comida no microondas (devem ser BPA free).
  3. não vedavam bem os líquidos pelo que acabavam por verter sopa ou molhos (sobretudo naqueles dias em que é preciso correr para o autocarro).
  4. as tampas NUNCA batem certo com as caixas! Todos passam por este drama certo?!


Hoje em dia quando quero escolher uma marmita/caixa/copo tenho atenção a:
  1. tem de ser lavável na máquina da loiça para garantir que fica sem qualquer resíduo de gorduras e devidamente higienizada
  2. tem de vedar bem os líquidos
  3. tem de ser segura para aquecer alimentos no microondas (BPA free)
  4. tem de ter um tamanho adequado para caber bem na lancheira e para conseguir transportar doses adequadas

.
Para os pratos principais uso marmitas estilo bento box, é verdade que podem  mais caras que um tupperware comum mas valem cada cêntimo.
Um conjunto de duas marmitas custa entre 20 a 35 euros, mas são bastante duráveis e vedam bem.
Estas minhas marmitas já não têm aquele aspecto glorioso do primeiro dia, as mais antigas já têm mais de cinco anos, mas têm aguentado na perfeição a tareia de lavagens e viagens diárias.
Tenho 3 conjuntos que uso exclusivamente para levar comida para o trabalho, assim nunca tenho a desculpa de não ter marmitas lavadas e prontas a usar.
Cada marmita leva cerca de 450/500ml, bastante adequado para uma dose de comida.
As marmitas que uso são da smartlunch (uma marca portuguesa!) e da monbento.




Para aqueles dias em que não é possível aquecer comida tenho um Smart foodjar com uma capacidade um pouco maior (0,7L) e que permite aquecer a comida de manhã e mantê-la quente até à hora do almoço.
Qualquer tipo de termo deve ser aquecido com água quente antes de colocar a comida para melhorar a sua eficiência.



Para a sopa utilizo copos com tampas vedantes. Estes copos têm também um sistema de libertação de vapor para aquecer com segurança no microondas. Para além das sopas, uso também para transportar batidos, sumos e bebidas quentes.
Uso copos da marca "Sistema", são fáceis de encontrar em qualquer hipermercado. Tenho dois para garantir que um está sempre lavado.


Para os snacks e lanches uso toda uma série de caixas variadas:

- reutilizo frascos de vidro que vedam sempre bem.
Como a lancheira é rígida não há perigo de se quebrarem pelo caminho e são uma opção super económica já que são frascos reutilizados e mais amigos do ambiente (cá por casa estamos a reduzir ao máximo a utilização de plástico).
O único senão é que são bastante mais pesados do que qualquer caixa de plástico.
- caixas de vidro ou plástico de pequenas dimensões para ovos cozidos, frutos secos e outros snacks.



Para batidos e sumos utilizo pacotes reutilizáveis muito semelhantes aos que se usam para as crianças mas com uma capacidade maior (400ml). Têm a vantagem de serem laváveis na máquina da loiça e de darem para congelar.
Os meus são d' As ideias dos pacotes.




Por fim e não menos importante é a escolha da lancheira.
Eu optei por uma lancheira rígida e isotérmica, que permite levar duas marmitas, um copo de sopa e mais 2 ou 3 caixas pequenas de snacks.

Se houver algum tema que gostassem de ver abordado deixem a vossa sugestão.


terça-feira, 6 de novembro de 2018

Muffins de gengibre


Com estes dias a ficarem mais frescos dá vontade de voltar a usar o forno e de encher a cozinha com aquele cheiro delicioso a bolos acabadinhos de fazer. 

Estes muffins foram feitos já a pensar no Natal 🎄 que não tarda muito a chegar.
Com sabor a gengibre&canela e uma camada crocante de frutos secos e pepitas de cacau. 
Ingredientes: 

  • 3 ovos
  • 100g iogurte natural 
  • 200g de sumo com sabor a gengibre e ananás da sonaturaljuice 
  • 1 vagem de baunilha (raspar o interior)
  • 1 c.chá de canela
  • 30g açúcar de coco
  • 100g farinha de amêndoa 
  • 220g farinha de espelta 
  • 1 c.chá fermento 
  • 80g frutos secos grosseiramente picados (usei amêndoas, caju, nozes e avelãs)

Para o topping usei:



  • 30g frutos secos grosseiramente picados 
  • 10g de soja crocante (opcional)
  • 10g pepitas de cacau crú 

Modo de preparação: 

  • numa taça misturar as farinhas, o fermento , a canela , o açúcar de coco, o fermento e os frutos secos e misturar bem. 
  • em outra taça misturar bem os ovos, a baunilha, o iogurte e o sumo.
  •  misturar os ingredientes secos com os líquidos. 
  •  dividir a massa por formas individuais cortadas com papel vegetal.
  •  numa taça misturar os ingredientes do topping e polvilhar todos os muffins com esta mistura.
  •  levar ao forno pré aquecido a 180° cerca de 20/25 minutos.



Rende 12 muffins.

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Medalhões de brócolos e cenoura



.
Ingredientes:
  • 200g cenoura cozida
  • 200g brócolos cozidos
  • 100g queijo creme (tipo philadelphia)
  • farinha de mandioca ou pão ralado
  •  sal e pimenta 
.
Modo de preparação:
  •  picar grosseiramente os brócolos e a cenoura
  •  temperar com sal e pimenta a gosto
  •  juntar o queijo e envolver bem
  •  formar bolinhas e passar pela farinha de mandioca (ou pão ralado)
  • achatar as bolinhas 
  • colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal e levar ao forno a 180ºc cerca de 20 minutos ou até estarem dourados.
.
Caso pretendam uns medalhões mais cremosos podem aumentar a quantidade de queijo.


terça-feira, 23 de outubro de 2018



Hoje decidi experimentar o pão da The Rustik Bakery Portugal . Confesso que tinha muitas reservas em relação a este pão e aos seus ingredientes. Geralmente prefiro um pão sem farinha de trigo mas a verdade é que nem sempre tenho disponibilidade para passar no Celeiro para ir buscar pão. Daí que dê jeito ter uma opção de supermercado que seja aceitável.
Quando vi a publicidade a este pão no Facebook fiquei curiosa. Perguntei na página deles qual a lista de ingredientes, mandaram-me ir ao supermercado ler o rótulo 🤷‍♀️. Regra geral quando as marcas se recusam a dar a lista de ingredientes publicamente é sinónimo de “os ingredientes são uma bosta, não queremos falar sobre isso”.
Mas a verdade é que para quem consome farinha de trigo até não é uma má opção. Comparando com a lista de ingredientes dos pães embalados e até mesmo dos pães ditos frescos de supermercado, cheios de corantes e conservantes, este tem uma lista de ingredientes interessante ( talvez só com excepção do óleo de girassol) . O preço também é bastante mais simpático(paguei 1,60€ quando muitas vezes pago 4 ou 5 euros pela mesma quantidade de pão).




segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Waffles de abóbora



Estas waffles deixaram a cozinha com um cheirinho delicioso que faz lembrar os sonhos de abóbora. 
Fiz ontem para servir ao pequeno-almoço de hoje.

Uma boa forma de aquecerem as waffles , para voltarem a ficar com aquela crosta crocante e o interior macio é na torradeira. 

Acompanhei com iogurte vegetal, pepitas de cacau crú e banana, mas combinam também na perfeição com queijo.



Ingredientes:

  • 350g abóbora cozida e reduzida a puré (usei abóbora moranga)
  • 3 ovos 
  • 40g farinha de amêndoa 
  • 90g farinha de aveia
  • 20g óleo de coco 
  • 25g farinha de mandioca 
  • 20g xarope de tâmaras (podem usar mel ou outro adoçante a vosso gosto)
  • canela em pó para polvilhar

.
Misturar tudo bem e colocar colheradas da mistura na máquina de waffles bem quente. Geralmente unto as placas com óleo de coco.
.
No final podem polvilhar com canela.

domingo, 21 de outubro de 2018

Crackers de sementes

Estas crackers são óptimas para acompanhar uma sopa ou uns queijinhos. Têm a vantagem de não terem glúten e são super fáceis de fazer.



Ingredientes:


  • 110g sementes de girassol
  • 50g amêndoa sem pele
  • 75g chia (usei chia branca)
  • 1 c.sopa coentros secos (podem usar qualquer outra erva a vosso gosto: alecrim, tomilho, salsa, oregãos, mangericão ...)
  • 35g parmesão em pó
  • 1 c.café fermento
  • 1 c.sopa de azeite
  • 1 c.sopa de água
  • 1 c.sopa sementes de sésamo
  • 1 c.sopa sementes de papoila
  • 1 pitada flor de sal

Modo de preparação:


  • Triturar as sementes de girassol, a amêndoa, a chia e o parmesão. 
  • Adicionar o fermento, a água, o azeite, o sal, as sementes de sésamo e as sementes de papoila.
  • Misturar bem,
  • Deixar repousar 10 minutos.
  • Esticar a massa entre duas folhas de papel vegetal até ficar fina (cerca de 2 a 3mm de espessura).
  • Com uma faca cortar em quadrados ou rectângulos.
  • Levar ao forno pré-aquecido a 160ºc cerca de 30 minutos.



Adaptado da revista continente magazine / Set. 2018.

sábado, 20 de outubro de 2018

Falafel


Falafel (ou pastéis de grão) é uma daquelas receitas que é super económica, fácil de fazer e que rende bastante.  Gosto de ter sempre uma caixinha no congelador para aqueles dias em que tenho menos tempo, paciência ou imaginação para a cozinha.

A primeira vez que fiz falafel e publiquei aqui no site ainda levava farinha e era frito em óleo. Com os anos fui adaptando a receita e é essa que hoje partilho com vocês. 

O falafel pode ser feito tanto com grão como com favas.
 Caso queiram experimentar com favas é só seguir esta receita.



Ingredientes:


  • 2 c.sobremesa sementes de coentros *
  • 1 c.sobremesa sementes de cominhos ou cominhos em pó *
  • 1 c.sobremesa gengibre em pó *
  • 1 c.chá flocos de chilli
  • 500g  grão cozido
  • sumo de limão
  • coentros e/ou hortelã picados
  • sementes de sésamo
  • sal


* estas foram as especiarias que escolhi, mas caso não encontrem ou não sejam do vosso agrado podem adaptar.


Modo de preparação:

  • Numa frigideira colocar as sementes de coentros, os cominhos e os flocos de chilli e deixar torrar um pouco.
  • Reduzir as especiarias em pó com a ajuda de um almofariz.
  • Triturar o grão juntamente com  sumo de meio limão e uma pitada de sal.
  • Juntar coentros e/ou hortelã picados e as especiarias.
  • Rectificar o tempero se necessário.
  • Formar bolinhas com a mistura obtida, envolver com as sementes de sésamo e achatar.
  • Colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal e levar ao forno pré-aquecido a 180ºc até os pastéis estarem dourados.



Esta receita como não leva nem farinha nem ovos faz com que os pastéis fiquem mais molinhos pelo que recomendo que os façam no forno.
 Se preferirem podem fazer bolinhas mais pequeninas e nesse caso já terão mais facilidade em dourar e virar na frigideira

*** Rende 18 pastéis de 30g ***

Para acompanhar os falafel fiz um molho de iogurte com:

1 iogurte grego natural
2 dentes de alho
coentros 
hortelã